A vulnerabilidade ao estresse apresentada pelo policial militar diante do clima organizacional da Corporação

  • Ana Paula Grillo Rodrigues Esag/ Udesc
  • Daniel Pinheiro
  • Luiz Ricardo Duarte

Resumo

O presente trabalho buscou verificar os elementos do clima organizacional e suas relações com possíveis traços de estresse presentes nos policiais militares do BOPE (Batalhão de Operações Policiais Especiais) e do 22º BPM (Batalhão da Polícia Militar) da PMSC (Polícia Militar de Santa Catarina). Por meio da aplicação do questionário EVENT (Escala de Vulnerabilidade ao Estresse no Trabalho) e da realização de entrevistas, o trabalho colheu dados qualitativos e quantitativos de uma amostra 155 policiais militares do serviço ativo, entre Oficiais e Praças. A análise dos dados revelou maiores percentuais de policiais militares do BOPE nos níveis médio superior e superior de estresse em relação ao clima e funcionamento organizacional. Os policiais que trabalham nas atividades operacionais, apresentaram maiores níveis de estresse, se comparados aos da atividade administrativa. As mulheres tendem a apresentar níveis mais elevados de estresse se comparadas aos homens do 22º BPM, assim como os Praças apresentam em ambas unidades, 22º BPM e BOPE, níveis mais elevados de estresse, se comparados aos Oficiais. Diante desses e de outros resultados apresentados no decorrer do trabalho, pode-se constatar que as atividades policiais necessitam de atenção não apenas dos gestores militares, como também das políticas públicas do Estado, pois se trata de um trabalho de grande importância cuja sua natureza exige não apenas física, mas emocionalmente dos que dela fazem parte.

Publicado
2021-01-07