Atualização da doutrina de gerenciamento de crises: Incidentes policiais e centros de consciência situacional C5I na quarta revolução industrial

  • Paulo Augusto Aguilar

Resumo

O presente artigo tem como objetivo abordar a atualização de gerenciamento de crises. Trata-se de um tema bastante importante para a atividade policial, pois visa a expandir a possibilidade das polícias brasileiras, seja militar, civil ou federal, de investigar delitos diversos, relacionados à segurança pública, ao fornecer conceitos de Big Data, Data Mining, Data Storytelling e Business Intelligence como forma de gerar melhor consciência situacional e imagem operacional comum de incidentes de todos os tipos e tamanhos, tudo isso com a flexibilidade de aplicativos disponíveis em smartphones, em tempo real, agilizando a capacidade de resposta e de adaptação do Estado diante de cenários VUCA, utilizado para descrever cenários caracterizados por volatilidade (volatility), incerteza (uncertainty), complexidade (complexity) e ambiguidade (ambiguity).

Biografia do Autor

Paulo Augusto Aguilar

Capitão da Polícia Militar do Estado de São Paulo (PMESP), atualmente no 4º Batalhão de Polícia de Choque (BPChq) - Operações Especiais. Possui, dentre outros cursos: Mestrado em Ciências Policiais de Segurança e Ordem Pública - PMESP; Curso de Ações Táticas Especiais - Grupo de Ações Táticas Especiais de São Paulo (GATE/SP); Curso de Análise do Terrorismo na Agência Brasileira de Inteligência - ABIN; Combating Domestic and Transnational Terrorism - Office of Antiterrirism Assistance, U.S. Department of State. Membro da International Association of Bomb Technicians and Investigators (IABTI) e da National Tactical Officer Association (NTOA).

Publicado
2020-01-28