Jornada para crime: análise das distâncias percorridas por criminosos para o cometimento de crimes

Resumo

Crimes e infratores seguem padrões espaço-temporais de suas distribuições e áreas de ação. Há estudos que apontam que criminosos tendem a cometer crimes com maior frequência em locais próximos à sua própria casa num padrão de decaimento da distância. Entretanto, o entendimento do comportamento criminal necessita da análise de casos individuais, a fim de não se incorrer na inferência a partir de dados agregados, o que é chamado comumente de falácia ecológica. Assim, o objetivo desse trabalho é analisar em nível individual, a partir de uma perspectiva longitudinal, eventos perpetrados por indivíduos contumazes na prática de delitos (criminosos em série), analisando as distâncias em que esses indivíduos cometem seus delitos, tendo como parâmetro o início de sua jornada como sendo o endereço residencial. A metodologia contou com análise de dados contidos em boletins de ocorrência policial. Foram pesquisados 114 criminosos em série, autores de 1259 ocorrências no período de 2011 a 2013 em Belo Horizonte. Os resultados apontaram que não é possível predizer o comportamento espacial criminal do indivíduo com base nos dados analisados em conjunto, pois a jornada para o crime, analisando-se o pacote de eventos criminais, há decaimento da distância no cometimento de crimes, tanto para os criminosos em série, quanto para os não seriais. Não obstante, essa verificação só é válida para o conjunto de dados, o que não se verificou na análise da frequência de eventos em relação à residência do infrator em nível individual.

Biografia do Autor

Antonio Hot Pereira de Faria, Centro de Pesquisa e Pós-Graduação da Polícia Militar de Minas Gerais

Graduação em Ciências Militares -Academia de Polícia Militar de Minas Gerais, APM/MG- Brasil;

Graduação em Química - Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG - Brasil;

Doutor em Tratamento da Informação Espacial- Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, PUC Minas - Brasil.

Alexandre Magno Alves Diniz, PUC Minas

Graduação em Publicidade e Propaganda, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais - Brasil;

Doutor em Geografia, Arizona Stae University, ASU -Estados Unidos.

Publicado
2020-01-28