O Risco do sedentarismo ao efetivo da 22ª Companhia Independente da Polícia Militar do Estado de Goiás

  • David Campos Mariano Júnior PMGO
  • Márcio Antônio de Paula PMGO

Resumo

Este artigo avaliou o nível de atividade física e o sedentarismo, buscando responder a seguinte problemática: O Sedentarismo é um fator prejudicial para a saúde e produtividade do Policial Militar pertencente a 22ª CIPM? Nesse contexto, foi realizado uma pesquisa de campo no 1º Pelotão desta Companhia, para saber a atual condição física e correlacionar com a obesidade existente. Utilizou-se como metodologia, a pesquisa descritiva, transversal e quantitativa, sendo a coleta de dados realizada através do questionário IPAQ, versão curta adaptada, cálculo de IMC e medição da circunferência abdominal. A amostra foi escolhida através do cálculo de amostragem aleatória simples para populações finitas. Ficou constatado que 66% dos Policiais Militares entrevistados encontram-se sedentários ou insuficientes. Foi possível levantar, ainda, que 80% do grupo estudado estão com o índice de massa corporal acima do ideal, além de que 62% da amostra possuem a circunferência abdominal elevada. Os resultados revelaram a prevalência do sedentarismo, obesidade e circunferência abdominal elevada, demonstrando um alto risco de desenvolver alguns tipos de doenças. A pesquisa se mostrou muito importante visto a expressividade dos resultados negativos, sendo necessário mais estudos para profundar o tema e a elaboração de um programa de acompanhamento e incentivo a atividades físicas como forma de diminuir tal fenômeno.
Publicado
2018-08-03
Seção
Artigos