Coerção e consenso: dilemas da formação policial militar

dilemas da formação policial militar

  • Celia Cristina Pereira da Silva Veiga Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro
  • José dos Santos Souza Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro

Resumo

A promulgação da Constituição Federal de 1988 estabelece a reorganização do país pela concepção de Estado democrático de direito, orientando a adequação da atuação policial segundo os princípios dos Direitos Humanos. Tal demanda propõe a formação policial para gestão e resolução de conflitos pela mediação entre coerção e consenso. No estado do Rio de Janeiro, a partir de 2007, com a implementação da Política de Pacificação, a proposta do perfil policial “pacificador” tem orientado a formação policial militar. Nesse sentido, tomamos como objeto de análise as mudanças ocorridas na formação policial militar de modo a mediar consenso e coerção. Nossa referência empírica é a formação inicial de praças no Curso de Formação de Soldados (CFSd) na Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro (PMERJ). Nosso objetivo é analisar as mudanças ocorridas no CFSd a partir dessa nova concepção de segurança pública. Pela análise de fontes bibliográficas primárias, verificamos certa dicotomia entre formação para uso da força e para mediação de conflitos. Concluímos que a formação policial militar no Rio de Janeiro evidencia disputas políticas e ideológicas, resultando na divulgação de um discurso voltado mediação de conflitos pelo consenso, embora a formação policial militar continue estruturada pelo uso da força.

Biografia do Autor

{$author}, Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro
Formada em Pedagogia pela Univerisade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ) e em Teologia pelo Seminário Teológico Batista do Sul do Brasil (STBSB). Mestre em Educação pela UFRRJ. Doutoranda em Educação pela UFRRJ. Policial Militar do Estado do Rio de Janeiro.
{$author}, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro
Doutor em Sociologia, com Pós-Doutorado em Ciências Sociais e Educação pela Faculdade de Educação da UNICAMP. Atua como Professor Associado do Departamento de Educação e Sociedade do Instituto Multidisciplinar da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Líder do Grupo de Pesquisas sobre Trabalho, Política e Sociedade (GTPS). 
Publicado
2018-12-28
Seção
Artigos