Apoderamento ilícito de aeronaves: Olimpíadas de Munique - 1972. Que aprendizado ficou?

  • Rodrigo de Oliveira Rodrigues PUC GOIAS

Resumo

O aumento da procura pelo setor aeroportuário, principalmente em razão da realização de grandes eventos esportivos ou de datas comemorativas tem provocado muitas discussões em busca do gerenciamento dos riscos que essa movimentação pode causar. O presente trabalho objetiva analisar como a legislação internacional se posiciona e como o Brasil está se adequando a ela, principalmente no que diz respeito ao terrorismo e ao apoderamento ilícito de aeronaves. A magnitude de um atentado terrorista requer medidas mais rigorosas por parte da comunidade internacional para reprimir, prevenir e combater esse tipo de ação. Além disso, esta reflexão aponta os acontecimentos trágicos das Olimpíadas de 1972, os quais servem como material de estudo, pois, além de terem se passado dentro de aeroportos, revelam diversas falhas de planejamento e execução.

##submission.authorBiography##

##submission.authorWithAffiliation##
Ciências Aeronáutica, Segurança Aeroportuária, Jogos Olímpicos
Publicado
2017-07-20
Como Citar
RODRIGUES, Rodrigo de Oliveira. Apoderamento ilícito de aeronaves: Olimpíadas de Munique - 1972. Que aprendizado ficou?. Revista Brasileira de Estudos em Segurança Pública, [S.l.], v. 10, n. 1, july 2017. ISSN 2175-053X. Disponível em: <http://revista.ssp.go.gov.br/index.php?journal=rebesp&page=article&op=view&path%5B%5D=255>. Acesso em: 22 oct. 2017.
Seção
Artigos

Palavras-chave

Ilícito, Terrorismo, Munique, Jogos Olímpicos, Segurança da Aviação